sexta-feira, 2 de junho de 2017

JORNADA CIENTÍFICA DEBATE DESAFIOS DA GUARDA COMPARTILHADA

JORNADA CIENTÍFICA DEBATE DESAFIOS DA GUARDA COMPARTILHADA

Psicanalistas, psicólogos e especialistas da área do Direto de Família vão  palestrar e discutir o tema durante três dias

A complexa teia de relações que surge no rompimento da conjugalidade e no início da guarda compartilhada será debatida sob aspectos interdisciplinares em uma jornada realizada pela Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro (SBPRJ) entre 29 de junho e 1º de julho. "Guarda Compartilhada/ Alienação Parental: quando a conjugalidade termina e a parentalidade precisa seguir" terá palestras de magistrados, como a desembargadora do TJRJ Ivone Ferreira Caetano e a juíza Maria Aglaé Tedesco Vilardo, e de psicanalistas da área de família, como Julio Moreno, da Associação Psicanalítica de Buenos Aires; de psicanalistas de crianças, advogados e peritos, entre outros especialistas no tema. Haverá também a exibição do filme 'A lula e a baleia',  seguida  de debate.

A diretora do Conselho Científico da SBPRJ, psicanalista Ana Sabrosa, explica que a ideia de organizar a jornada surgiu da necessidade de se conhecer e aprofundar uma visão interdisciplinar de profissionais sobre esta temática, que implica em uma imprescindível interação jurídica, social e psicológica. Ela aponta que os filhos, não raras vezes, encontram-se diante de impasses familiares – assistindo divergências, hostilidades e até agressividade entre o casal - e ficam angustiados, confusos, inseguros e muitas vezes adoecem.

"Estas crianças ao mesmo tempo são desejosas da continuidade da convivência com ambos os genitores e são também espectadoras da decisão alheia à sua vontade. Somado a isto tudo a ambivalência natural que a criança vivencia em relação às figuras parentais pode encontrar num ou no outro genitor uma aliança que fomenta a retaliação, a culpa e uma possível consequente apresentação de sintomas", afirma Ana Sabrosa. "Neste sentido, gostaria de ressaltar a importância de um espaço psicanalítico para a 'escuta da criança'. E a discussão a partir deste viés também será contemplada na jornada", ressalta.

No dia 30, às 18h30, será exibido o filme 'A lula e a baleia', com direção e roteiro de NoahBaumbach. Na sequência, haverá debate com participação de Mônica Aguiar, secretária do Conselho Científico da CBPRJ, e Olívia Fürst, advogada colaborativa e mediadora de conflitos.

A jornada científica será realizada na Avenida Ataulfo de Paiva, 135, 18º andar. O evento tem apoio da Federação Psicanalítica da América Latina (Fepal). O investimento para participar do evento será de R$ 250 para membros Febrapsi, R$$ 220 para candidatos Febrapsi, R$ 280 para público externo e R$ 220 para estudantes universitários. Mais informações e inscrições pelo e-mail tesouraria@sbprj.org.br e pelo telefone (21) 2537-1115.

PROGRAMAÇÃO
DIA 29 DE JUNHO | QUINTA-FEIRA 20:00 
Entrega de credenciais
20:45 Abertura: Wania Maria Coelho Ferreira Cidade, Presidente SBPRJ.
21:00 A importância da Psicanálise no Direito de Família . Ivone Ferreira Caetano, Desembargadora - TJ/RJ, Corregedora - Corregedoria Geral Unificada/SESEG e Maria Aglaé Tedesco Vilardo, Juíza de Direito da 15ª Vara de Família, Doutora em Bioética, Coordenadora do Mestrado da EMERJ/FIOCRUZ em Justiça e Saúde.

Psicanálise de vínculos. Julio Moreno, Psicanalista - Associação Psicanalítica de Buenos Aires, Codiretor da área de casal e família do Instituto de Saúde Mental (USAM). Coordenação: Ana Sabrosa, Diretora do Conselho Científico SBPRJ.

> DIA 30 DE JUNHO | SEXTA-FEIRA 9:00
A escuta de crianças e famílias em litígio - o laudo e o tratamento, para que servem? Uma visão interdisciplinar.
Renata Bento, SBPRJ e Alexandra Ullmann, Advogada e psicóloga - PUC-Rio, especializada em direito de família. Coordenação: Lucia Moret, SBPRJ
10:30 Intervalo para café11:00 
Repercussões do divórcio conjugal na parentalidade. Michele Gorin, SBPRJ . Amor e ódio nas Varas de Família. Lidia Levy de Alvarenga, Doutora em Psicologia Clínica pela PUC-Rio. Coordenação: GenyTalberg, Diretora do Departamento de Crianças e Adolescentes SBPRJ.
12:30 - 14:15 Intervalo para almoço14:15
Há lugar para o indeterminado na Psicanálise clássica?Julio Moreno, APdeBA.

Auto-alienação parental: efeito colateral da lei da Alienação Parental. Sergio Nick, SBPRJ / Vice-presidente da IPA. Coordenação: CelmyQuilelli Correa, SBPRJ.
16:00 A luta e o luto na guarda compartilhada. Maria AglaéTedescoVilardo e Ivone Ferreira Caetano. Multiparentalidade e as famílias atuais. Plinio Montagna, SBPSP / Coordenador do Comitê de Psicanálise e Lei da IPA. Coordenação: Miriam Fainguelernt, SBPRJ
18:00 - 18:30 Intervalo para café18:30
Filme seguido de debate: A lula e a baleia, direção e roteiro de NoahBaumbach.

Debatedoras: Mônica Aguiar, Secretária do Conselho Científico SBPRJ e Olivia Fürst, Advogada colaborativa e mediadora de conflitos. Coordenação: Luiz Fernando Gallego, SBPRJ e membro da Associação de Críticos de Cinema do Rio de Janeiro.

 > DIA 1º DE JULHO | SÁBADO 9:00 
Abuso sexual intra familiar: “Mãe, eu ainda posso amar meu pai?” Ana Lúcia M. P. Antunes, Mestre em Psicologia Clínica - família e casal PUC-Rio.

Separando e compartilhando - desafios na família. Eliane Cotrim Levcovitz, SBPRJ. Coordenação: Regina Murat, SBPRJ.10:30 Intervalo para café
11:00 Encontro clínico.
Ana Sabrosa, SBPRJ. Comentadores: Julio Moreno, Plinio Montagna e Sergio Nick. Coordenação: Viviane Frankenthal, Vice-Presidente SBPRJ.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem vindo!

Espero que tenha gostado de nossa página!

Volte sempre!